top of page

FAÇA FRENTE A INJUSTIÇA E PRESEVE SEUS DIREITOS. COMO?

LEIA COM ATENÇÃO!

O religioso do Axé, ainda que não tenha sofrido nenhum tipo de fiscalização ou injustiça social na hora de colocar em por praticar sua religiosidade, tem que saber, que não pode mais viver a margem de seus direitos, desprezando sus obrigações. Não pode esperar o pior para depois buscar solução, é necessário prevenir para não sofrer o pior.


Ainda que a liberdade religiosa seja um direito fundamental de todo religioso, garantido pela Constituição Federal de 1988, que assegura a liberdade de crença e culto, bem como a proteção dos locais de culto e de suas liturgias. Nesse sentido, todas as religiões devem ser respeitadas e tratadas igualmente, sem qualquer tipo de discriminação ou preconceito.


No entanto, a prática religiosa ainda em nossa comunidade é alvo de preconceito e intolerância, especialmente e de forma consistente e permanente, as religiões de matriz africana, como a Umbanda, Jurema e o Candomblé.


Mas, temos que ser honesto, os religiosos enfrentam e passar por dificuldades, medo e duvidas, porque desprezam a obrigação de se legalizar, poderia fazer a defesa de seus direitos e evitar problemas na hora do exercício da sua fé.

É importante ressaltar que a legalização do religioso de Umbanda e Candomblé é fundamental para que possam exercer sua fé de forma plena e livre, sem qualquer tipo de restrição ou discriminação. Para tanto, é necessário obter a credencial religiosa, que é o documento que comprova a legalidade do exercício da atividade religiosa.

A credencial religiosa é um instrumento que garante ao religioso o direito de exercer sua atividade de forma legal e segura, além de permitir o acesso a uma série de benefícios.


Diferente da legalização do espaço físico, a credencial é uma autorização pessoal que permite que o religioso exerça sua função de sacerdote dentro da religião sem sofrer qualquer tipo de restrição legal ou discriminação.


Ao estar legalizado por meio da credencial, o religioso de Umbanda e Candomblé contribui para a preservação e avanços sociais, construindo uma sociedade mais justa e igualitária. Isso porque, ao cumprir suas obrigações e garantir seus direitos, ele se torna um agente de transformação social, exercendo sua atividade religiosa de forma responsável e consciente.


Outro benefício importante da credencial religiosa é a inclusão social do religioso de Umbanda e Candomblé, garantindo o reconhecimento e a valorização da sua religião e cultura. Com a legalização, o religioso passa a ter voz e representatividade nas esferas políticas e sociais, contribuindo para a defesa dos seus direitos e interesses.

A credencial religiosa também oferece assessoria jurídica, contábil e administrativa, que por meio da estrutura da Federação Afro Brasil, que é uma das melhores e mais completas estruturas de apoio ao religioso do Axé. Isso vai garantir que o religioso tenha todo o suporte necessário para exercer sua atividade de forma legal e segura, evitando possíveis problemas e entraves jurídicos e administrativos.

Além disso, a credencial religiosa permite que o religioso exerça sua função de sacerdote, realizando casamentos, batismos e outros atos religiosos, o que antes era impossível sem a devida legalização. Isso permite que a religião de matriz africana seja reconhecida e valorizada pela sociedade em geral, trazendo maior visibilidade e respeito à cultura e às tradições dessas religiões.


Além disso, a legalização do religioso de Umbanda e Candomblé via credencial, permite que essa religião seja equiparada às demais denominações religiosas, garantindo igualdade de tratamento e respeito. Isso é fundamental para combater a discriminação e o preconceito, construindo uma sociedade mais inclusiva e plural.


É importante destacar que a credencial religiosa não é apenas um documento de identificação pessoal, mas sim um instrumento de garantia de direitos e proteção legal. Através dela, o religioso pode exercer sua atividade de forma plena e livre, garantindo a segurança jurídica e a proteção dos seus locais de culto e das suas práticas religiosas.


Por fim, é fundamental ressaltar que a legalização do religioso de Umbanda e Candomblé é uma luta constante, que deve ser travada todos os dias. Ainda existem muitos obstáculos a serem superados, como o preconceito, a intolerância e a falta de reconhecimento da religião de matriz africana.


No entanto, com união, respeito e conscientização, é possível construir uma sociedade mais justa e igualitária, onde todas as religiões sejam respeitadas e valorizadas.


Estamos a disposição!

FEDERAÇÃO AFRO BRASIL Para saber mais ou receber orientações clique aqui! MODELOS DE DOCUMENTOS DA LEGALIZAÇÃO RELIGIOSA



SOLICITE AGORA SUA ADESÃO PARA GARANTIR SEUS DIREITOS!

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page